A Importância do Vinho na Saúde e na Performance Física

Vinho TintoGostam de aproveitar a vida e ingerir bebidas alcoólicas?

Acham que não o devem fazer porque prejudica a saúde?

Pensam que pode engordar?

Que é prejudicial para quem faz desporto?

As respostas para estas e outras perguntas bem como algumas dúvidas que tenham, estão descritas a seguir.

Leiam este artigo e ficarão surpreendidos com o desfecho final…

O vinho é o resultado da fermentação alcoólica de uvas maduras e frescas.

A produção do vinho é baseada em fenómenos bioquímicos, o que resulta na sua complexidade química e no seu elevado valor nutricional.

O vinho tem na sua constituição muitos elementos, considerados importantes para a vida.

Os principais elementos que o constituem:

  • Água – um nutriente indispensável à vida e que faz parte da constituição do ser humano, já que cerca de 80% do nosso organismo é constituído por água.
  • Etanol – um álcool que não necessita ser digerido, sendo absorvido diretamente pela parede intestinal, ao contrário por exemplo dos hidratos de carbono, que ficam armazenados como glicogénio e triglicéridos.
  • Açúcares – os açúcares presentes no vinho são em pequena quantidade, pelo que pouco contribuem para o seu valor energético.
  • Minerais – existem diversos minerais presentes no vinho, tais como: potássio, fósforo, magnésio, cálcio, sódio, silício, ferro, manganês, zinco, cobre, níquel, molibdénio, crómio e cobalto.
  • Vitaminas – são várias as que se encontram presentes, tais como: vitamina B5 (ácido pantoténico), vitamina B3 (niacina), vitamina B2 (riboflavina), vitamina B6 (piridoxina), vitamina B8 (biotina) e vitamina B9 (ácido fólico).
  • Ácidos orgânicos – encontram-se presentes: ácido láctico, tartárico, acético, málico, entre outros.
  • Aminas Bioativas – alguns exemplos são: histamina, betafeniltilamina e tiramina.
  • Proteínas – no vinho apenas podemos encontrar vestígios de proteínas.
  • Polifenois e Flavonóides – possuem características importantes, que fazem do vinho um alimento muito poderoso.

A importância dos Polifenois…

O que diferencia o vinho das restantes bebidas alcoólicas é a presença de compostos fenólicos (polifenois).

Os polifenois que podemos encontrar no vinho são o resveratrol, a quercetina e a catequina.

APROVEITA AS NOVIDADES DO BLOG TREINO NATURAL
Junta-te ao estilo de vida de Treino Natural e viverás saudável, poderoso, com um corpo estético e natural!
Nós odiamos spam. 100% seguro!

A quantidade de polifenois presentes no vinho tinto é superior à existente no vinho branco.

Os polifenois presentes no vinho atuam a vários níveis:

  • Diminuem a agregação plaquetária;
  • Conduzem à produção de óxido nítrico, que tem um efeito anti proliferativo, impedindo a proliferação de células cancerosas;
  • Possuem um efeito vasodilatador, favorecendo a circulação sanguínea;
  • Combatem a diabetes, uma vez que melhoram a sensibilidade à insulina;

Dos polifenois presentes no vinho, destaca-se o resveratrol, que atualmente é alvo de vários estudos, apresentando inúmeros benefícios para a saúde humana.

Dos benefícios associados ao seu consumo, podem destacar-se:

  • Reduz a incidência de aterosclerose e de reperfusão-isquémica a nível cardíaco e cerebral;
  • Funciona como um poderoso antioxidante, combatendo eficazmente os radicais livres que se formam no nosso corpo;
  • Apresenta propriedades anti envelhecimento, contribuindo para o prolongamento da vida.

Vários estudos demonstraram que, o resveratrol ingerido na forma de suplemento, que podemos adquirir em qualquer loja de suplementos alimentares, não se encontra tão bio disponível, como o que está presente no vinho. A explicação baseia-se no facto de que o nosso organismo reconhece e absorve melhor o resveratrol que se encontra naturalmente presente no vinho, que o resveratrol presente em suplementos.

Os outros dois polifenois presentes no vinho, a quercetina e a catequina, também apresentam importantes propriedades:

  • Combatem os radicais livres, alergias, inflamações, úlceras, viroses, tumores, toxinas produzidas pelo fígado, agregação plaquetária, cardiopatias e tromboses.
  • Pode dizer-se que os polifenois são excelentes para manter um coração saudável, relaxando o músculo cardíaco e evitando a formação de coágulos.

Um pouco de história….

Desde a antiguidade que o vinho foi utilizado na medicina. Existem documentos que indicam que, vários curandeiros no passado utilizavam o poder curativo do vinho, como um eficaz medicamento.

Hipócrates, o pai da Medicina utilizava o vinho, como desinfetante, como medicamento e como elemento integrante de uma dieta saudável.

Reza a história que o vinho era colocado nos ferimentos dos gladiadores romanos, para os curar.

Luís Pasteur, um importante cientista Francês, referia-se ao vinho, como “a mais higiénica e saudável das bebidas”.

Há alguns anos atrás, a comunicação social iniciou uma campanha acionada pela saúde pública, atacando o consumo de álcool, devido aos problemas de alcoolismo dos tempos atuais e que se iniciam precocemente nos jovens.

O alcoolismo dos tempos modernos relaciona-se com o consumo exagerado, principalmente de cerveja e de bebidas “brancas” ou espirituosas.

Antigamente, o consumo de álcool era, predominantemente, de vinho. Diariamente, o Homem tinha uma atividade física intensa e, contrariamente ao que acontece nos dias de hoje, apenas bebia vinho a acompanhar as refeições.

Atualmente, os problemas de alcoolismo surgem porque, a grande maioria não consome apenas vinho, bebem qualquer tipo de bebida alcoólica, não se alimentam corretamente e são totalmente sedentários.

Benefícios para a saúde, associados ao consumo de vinho: 

Existem vários estudos randomizados que demostram os benefícios que, o consumo deste elixir dos deuses representa para a saúde humana:

  • Favorece o cérebro;
  • Favorece o aparelho digestivo e o sistema respiratório;
  • Atua como agente anti-infecioso;
  • Estimula o sistema imunológico;
  • Diminui o risco de aparecimento de cancro;
  • Diminui o risco de aparecimento de doenças cardiovasculares;
  • Reduz a tensão arterial e impede a oxidação do colesterol LDL (designado “mau colesterol”), devido à presença de flavonoides.
  • Contribui para o aumento do colesterol HDL (designado “bom colesterol”), devido à ação do etanol, que eleva a síntese de apolipoproteína A-1 do fígado e que melhora a atividade da lípase proteica, que por sua vez também contribui para aumentar os níveis de HDL.
  • Retarda o envelhecimento

Os benefícios associados ao consumo de vinho são muitos, mas deixo-vos alguns alertas para o consumo excessivo de vinho, que pode conduzir a um aumento do ritmo cardíaco, devido à quantidade exagerada de álcool ingerida, bem como a situações de cirrose hepática. Um litro de vinho contém cerca de 60 a 150 gr. de álcool, por isso doses muito elevadas de etanol (álcool), podem levar ao envenenamento temporário do organismo.

O vinho tinto é considerado um alimento funcional, sendo mesmo utilizado no Japão, como um dos alimentos que contribui para reduzir os gastos na saúde pública.

O Vinho tem ações benéficas em inúmeras doenças:

  • Artrite – estudos realizados em 2750 voluntários, demonstraram que, indivíduos que bebem vinho com moderação apresentam menos probabilidades de desenvolver inflamações das articulações.
  • Cancro – a presença natural no vinho, de poderosos anti oxidantes, como o resveratrol, contribuem para a prevenção do aparecimento de alguns tipos de cancro.
  • Diabetes – o vinho melhora a sensibilidade à insulina, sendo  por isso um fator importante no combate à diabetes tipo II.
  • Perturbações do Sistema Digestivo – o vinho diminui a incidência de alguns problemas associados ao aparelho digestivo: diminui a incidência de úlcera péptica, é eficaz no combate à Helicobacter pylori e ainda contribui para aliviar o estresse, que muitas vezes está na origem de perturbações digestivas.
  • Doenças do Sistema Urinário – o vinho previne a formação de cálculos renais, ao estimular a diurese.
  • Doenças cerebrais – os polifenois presentes no vinho evitam o envelhecimento das células cerebrais, diminuindo o risco de demência e de Doença de Alzheimer. Também melhoram a irrigação sanguínea, a nível cerebral.
  • Doenças do Sistema Cardiovascular – o consumo de vinho combate as citocinas ou citoquinas inflamatórias que afetam o colesterol, assim como as proteínas  que interferem no processo de coagulação.
  • Doenças do Sistema Respiratório – o vinho contribui para reduzir infeções pulmonares, mostrando um efeito mais eficaz, que certos antibióticos.
  • Emagrecimento – o vinho estimula a função pancreática, extremamente importante na queima de gorduras.
  • Herpes – o resveratrol presente no vinho combate o herpes, inibindo a multiplicação do vírus (herpes simplex).
  • Osteoporose – o consumo de vinho contribui para melhorar a densidade óssea.
  • Anemia – o álcool presente no vinho permite ao nosso organismo, absorver melhor o ferro que se encontra presente nos alimentos.
  • Envelhecimento – o resveratrol ajuda a combater o envelhecimento, deixando a pele mais firme.
  • Visão – devido às suas propriedades antioxidantes, o vinho contribui para diminuir a degeneração ocular.
  • Varizes – o consumo de vinho, principalmente a partir dos 40 anos, ajuda a fortalecer as veias e as artérias.
  • Gravidez – atualmente, as mulheres parecem ter maiores dificuldades em engravidar. Foi efetuado um estudo em 3000 mulheres, que permitiu concluir que beber vinho regularmente, diminui em quase um terço o tempo de espera, que uma gravidez pode demorar a se concretizar. Certamente não será necessário referir que uma mulher não deverá consumir álcool, durante o período de gestação (gravidez).
  • Perturbações de Memória – o vinho ajuda a preservar a memória, uma vez que previne a formação de coágulos e diminui a inflamação dos vasos sanguíneos, que estão ambos, diretamente relacionados com o declínio da memória.
  • Intoxicação Alimentar – está comprovado que o vinho auxilia na eliminação de algumas bactérias, responsáveis por intoxicações alimentares, acelerando o processo de recuperação do organismo.
  • Libido – neste parâmetro, o vinho atua de modo diferente, consoante se trate de indivíduos do sexo masculino ou feminino.

Nas mulheres, o vinho aumenta o desejo sexual, pois aumenta o fluxo sanguíneo em zonas específicas do corpo. Nos homens, o efeito não é o mesmo. Nos indivíduos do sexo masculino, o consumo exagerado de vinho pode ser prejudicial, uma vez que os vasos sanguíneos mais “íntimos”, não necessitam de uma pressão sanguínea tão elevada. Esta elevação da pressão sanguínea, pode prejudicar a ereção e a performance sexual, especialmente se os níveis de testosterona natural se encontrarem abaixo dos níveis normais, tendo em conta a idade do indivíduo.

APROVEITA AS NOVIDADES DO BLOG TREINO NATURAL
Junta-te ao estilo de vida de Treino Natural e viverás saudável, poderoso, com um corpo estético e natural!
Nós odiamos spam. 100% seguro!

As vantagens enumeradas são bastantes e manifestam-se a vários níveis, no entanto todas elas foram estudadas, tendo em consideração um consumo moderado de vinho.

“Consumo moderado” é no entanto um conceito, difícil de definir, bastante subjetivo e de difícil entendimento.

“Consumo moderado de vinho”

Atualmente, um consumo moderado de vinho, aponta para um consumo de um a dois copos diários de vinho. No entanto as explicações científicas acerca das quantidades adequadas, não são suficientes para quantificar o que seria um “consumo moderado de vinho”.

Pessoalmente, considero que a quantidade moderada depende muito de diversos fatores, tais como: idade, atividade física, fatores genéticos, peso corporal, sexo e hábitos de consumo.

Sou adepto incondicional de vinho tinto e prefiro consumi-lo em maior quantidade, pois desta forma ajuda a prevenir alguns comportamentos depressivos, melhorando o sentido de humor, o que não se consegue com doses inferiores. Para prevenir, quaisquer efeitos negativos, optei por consumir vinho apenas ao fim de semana e durante as férias (embora por vezes quebre a regra).

Considero o consumo de vinho diário mais benéfico para a saúde geral. Para quem segue esta rotina é importante cumprir e optar por beber quantidades inferiores, comparativamente àqueles que optam por beber, apenas ao fim de semana.

O meu conselho é que sejam inteligentes, tenham bom senso e percebam qual é o vosso consumo moderado.

Um caso interessante… 

Em França o consumo de 60 gr.de álcool por dia é considerado seguro para indivíduos do sexo masculino. Esta quantidade de álcool é o equivalente a 1 litro de vinho menos graduado, o que equivale a cerca de 0,5 litros de um vinho mais graduado.

Segundo dados estatísticos, França é o país do mundo com menor incidência de doenças cardíacas, situação esta que esteve na origem do famoso Paradoxo Francês. Como os franceses consumiam quantidades elevadas de vinho e de gordura saturada, os investigadores consideraram tratar-se de um Paradoxo, pois com estes hábitos alimentares, como seria possível apresentarem, a nível mundial, as taxas mais baixas de doenças cardíacas?

O mistério foi desvendado e colocado um fim ao que era considerado um Paradoxo, já que está comprovado que o elevado consumo de vinho e de gordura saturada apresenta benefícios para a saúde.

Consumo de vinho e fígado saudável…

Um dos vários benefícios associados ao consumo de vinho, é o seu poder de aumentar a longevidade. No entanto o consumo exagerado deste elixir pode provocar cirrose hepática, como referi anteriormente.

No meu caso, que consumo quantidades consideráveis de vinho, o meu fígado encontra-se saudável e goza de boa saúde. Para o comprovar, faço análises clínicas com alguma regularidade. Desta forma, pretendo continuar a beber vinho, usufruindo de todos os seus benefícios, mas mantendo-me sempre saudável!

A maioria dos medicamentos apresentam efeitos muito mais prejudiciais para o fígado que o consumo de vinho. Atualmente, é bastante comum assistirmos a um abuso de medicação, por parte de algumas pessoas, que deixam para segundo plano a atenção que deviam dar à saúde do seu fígado.

A classe médica prescreve medicação sem grandes restrições, mas deixaram de “prescrever” o vinho…Deixaram cair no esquecimento todos os seus efeitos benéficos para a saúde geral, quando inserido numa dieta saudável e equilibrada, bem como todo o poder curativo que lhe está associado.

O vinho tem poderosos anti oxidantes, que produzem uma vasta gama de efeitos bioquímicos e farmacológicos: efeitos anti carcinogénicos, anti inflamatórios e anti microbianos.

Restrições ao seu consumo…

Não recomendo o consumo de vinho, a crianças, gestantes (grávidas) e a indivíduos que sofram ou já sofreram, de problemas de alcoolismo. 

Como devemos consumi-lo…

O vinho deve ser consumido, somente durante as refeições principais.

Da sua constituição faz parte um ácido orgânico, designado ácido cinâmico, que estimula a vesicula biliar a descarregar mais bílis no início do intestino delgado, o que contribui para melhorar a digestão das gorduras.

Além disso, consumir vinho quando nos alimentamos, ajuda a retardar a absorção do álcool, contrariamente ao que acontece se o ingerirmos em jejum, em que se absorve maiores quantidades de álcool.

Na antiguidade os guerreiros bebiam vinho às refeições principais e utilizavam-no da melhor forma, tirando partido de todos os seus benefícios.

Nós devemos seguir os nossos antepassados, usufruindo do que a vida nos dá, consumindo vinho de forma moderada e aproveitando todos os seus benefícios para manter uma saúde de ferro.

Considero que gozo de uma saúde excelente consumindo vinho, não necessitando recorrer ao uso abusivo de medicamentos, fazendo uma alimentação saudável e praticando atividade física diariamente.

O consumo de vinho e a atividade física…

Em relação à forma física, posso garantir-vos por experiência própria, que o consumo de vinho não prejudica o desempenho físico, nem sequer a estética corporal.

Consumir alguns copos de vinho, não irá destruir o vosso progresso físico, menos ainda, se treinarem de forma natural.

Quando se afirma que o álcool engorda, considero que seja um mito. Se consumirem cerveja ou bebidas alcoólicas doces é muito provável que engordem, especialmente quando se trata de cerveja, que possui maltose, que se transforma em açúcar.

Muitos dos antigos praticantes de musculação consumiam quantidades consideráveis de álcool, especialmente de vinho. Estes atletas mantinham-se magros, musculados e fortes, mesmo consumindo álcool diariamente. Como exemplo posso citar-vos Arthur Saxone e Eugene Sandow, pioneiros na musculação e consumidores de quantidades consideráveis de álcool, que conseguiam manter um corpo atlético e forte. Outro exemplo que vos posso citar é o de atletas gregos, que há centenas de anos atrás, consumiam figos e vinho tinto ao jantar e mantinham um poder físico invejável.

Alguns cientistas acreditam que o vinho em geral, e o álcool em particular, fortalecem as mitocôndrias das células, obrigando-as a funcionar de maneira mais eficiente.

A comunidade do fitness incentivou à abolição do consumo de álcool, principalmente devido à incompatibilidade existente entre o consumo de álcool e o uso de substâncias anabolizantes.

 Aconselho-vos a beberem vinho moderadamente, a treinarem arduamente e diariamente e a se alimentarem de forma saudável, evitando a todo o custo o consumo abusivo de medicamentos.

O consumo de vinho e a Testosterona…

Com um consumo elevado de álcool, os níveis de testosterona podem ter decréscimos, na ordem dos 6,8%. Não considero esta diminuição significativa, comparativamente aos benefícios que o seu consumo representa.

A diminuição dos níveis de testosterona, associados ao consumo elevado de álcool ocorre temporariamente, apenas por algumas horas. No entanto um consumo diário elevado, pode ter implicações mais significativas.

O consumo de vinho e o desempenho sexual… 

A nível sexual, o consumo de vinho só acarreta consequências ao nível da ereção se, os níveis séricos de testosterona estiverem abaixo dos parâmetros normais, tendo em conta o sexo e a idade de cada indivíduo.

Se os níveis séricos de testosterona estiverem normais, o consumo elevado de álcool, apenas retarda a ejaculação, não provocando problemas relativamente à ereção.

Aconselho-vos a terem alguma prudência no consumo de vinho, se algumas horas após o seu consumo, planearem ter relações sexuais.

Conclusão

O consumo moderado de vinho apresenta vários benefícios, por isso aproveitem e tirem partido disso.

Se ingerirem álcool optem sempre, por beber vinho, especialmente vinho tinto e evitem a todo o custo o consumo de cerveja, de bebidas alcoólicas doces ou outras bebidas espirituosas. Apenas, esporadicamente podem consumir bebidas destiladas secas.

Não sintam medo de consumir vinho moderadamente, pois vão conseguir manter a vossa saúde e o vosso desempenho físico.

Fica uma última frase: “ O vinho é o néctar dos deuses”. Aproveitem-no da melhor forma!

APROVEITA AS NOVIDADES DO BLOG TREINO NATURAL
Junta-te ao estilo de vida de Treino Natural e viverás saudável, poderoso, com um corpo estético e natural!
Nós odiamos spam. 100% seguro!

2 comentários a “A Importância do Vinho na Saúde e na Performance Física

  1. Excelente post.. dos melhores e mais detalhados que tive oportunidade de ler.. por acaso tinha conhecimento de alguns dos benefícios do vinho tinto na nossa saúde a nível geral mas este post consegue englobar praticamente todos os paramentos.. muito bom..
    Sou praticante de actividade física diaria e gosto bastante de vinho por isso achei por bem dar o meu feedback, enquanto bebo uma taça do bom tinto regional.. 😀

    Os meus parabéns e bons treinos.. e copos!
    😉

    • Obrigado Mário, é sempre bom ler comentários tão positivos como o teu. Subscreve-te no blog, é gratis e receberás por mail todos os artigos que publicarei. Um brinde para nós que somos apreciadores de vinho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

WordPress Anti Spam by WP-SpamShield

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.